Crianças resgatadas estavam a ser treinadas para tiroteios em escolas


Da Redação Ecos da Notícia

Documentos entregues em tribunal indicam que suspeitos estavam a planear tiroteios em escolas norte-americanas.

Os dois homens acusados de manter em cativeiro as 11 crianças que foram encontradas no Novo México, na passada sexta-feira, poderiam estar a ensinar os menores a mexer em armas para levar a cabo ataques em escolas, de acordo com documentos judiciais citados pela Reuters.

De acordo com os documentos, se os suspeitos “forem libertados sob custódia, há probabilidade de cometerem vários crimes devido ao planeamento e preparação para futuros tiroteios em escolas”.

Um dos acusados, Huraj Wahhaj, é o pai do menino cujos restos mortais foram encontrados na segunda-feira no mesmo local onde estava o grupo de crianças. Este menino estava dado como desaparecido há alguns meses.



Foram detidos Huraj Wahhaj, Lucas Morton, o segundo suspeito, e três mulheres que se acreditam serem as progenitoras das onze crianças, que têm idades compreendidas entre um ano e 15 anos.

Huraj Wahhaj, à esquerda na imagem, e Lucas Morton, à direita.
© Reuters

Huraj Wahhaj, à esquerda na imagem, e Lucas Morton, à direita.© Reuters

Recorde-se que as crianças foram encontradas numa caravana, num local descrito como “imundo”, sem água, sem roupa e sem comida. A polícia falou num cenário “de terceiro mundo”.

A polícia encontrou, ainda, armas semiautomáticas AR14, quatro pistolas e várias munições.

Os agentes de autoridades terão descoberto o sítio onde se encontravam os menores após terem recebido uma mensagem de desespero, cuja proveniência não foi revelada: “Estamos a morrer de fome. Precisamos de comer e precisamos de água”.

Por Notícias ao Minuto

Notícias Relacionadas