Mãe de menina que morreu após comer bolo com droga deve ser indiciada por tráfico e homicídio culposo


Por Aline Nascimento, G1 AC, Rio Branco

Polícia vai concluir inquérito e encaminhar ao Judiciário. Kethelly Katrinny morreu no último dia 25.

Kelly Melo de Almeida, de 19 anos, mãe da menina Kethelly Katrinny, que morreu após comer um bolo feito com droga, em Manoel Urbano, interior do Acre, deve ser indiciada por tráfico, homicídio culposo e lesão corporal. A informação é da Polícia Civil do Acre.

Kethelly morreu no último dia 25 no hospital de Manoel Urbano. A mãe fez um bolo para levar para o marido, que está preso no presídio de Sena Madureira, cidade vizinha.



A criança puxou uma cadeira e comeu da sobremesa. Outros dois adolescentes também comeram e passaram mal. Eles ficaram internados e foram liberados dias depois.

A mãe de Kethelly não quis comentar o caso.

Ao G1, o delegado responsável pelas investigações, Marcos Frank, disse que vai concluir o inquérito e enviar ao Judiciário. Frank disse que não deve chamar a mãe para depor novamente.

“O homicídio culposo da Kethelly e duas lesões corporais dos dois que ficaram vivos. Ela já foi ouvida, tem que apresentar provas para o promotor e ele deve denunciar ela. Não precisa, diante dos fatos não há argumentos”, disse o delegado.

Frank lembrou ainda que o caso foi investigado após a polícia receber denúncias. O delegado mandou recolher o corpo, que já tinha sido liberado para o velório, e encaminhou para o Instituto Médico Legal (IML) de Rio Branco.

“Fomos apurar a denúncia, houve a suspeita, foi recolhido sangue e urina”, confirmou.


Notícias Relacionadas