Corpo de bebê desaparecido após morte cruel de mãe é encontrado



Bebê foi morto porque chorava enquanto mãe era estuprada por criminoso. Assassino esmagou a cabeça da criança supostamente com pedra

No início da noite desta terça-feira (17) policiais civil e Batalhão Ambiental da Polícia Militar com indicação Lucimar Bezerra, de 33 anos, assassino de Jardineis Oliveira da Silva, de 25 anos, morta a facada e que teve a barriga aberta, parte das vísceras retirada e, seguida a barriga costurava encontraram o corpo da bebê de seis meses que também foi morta por Lucimar.



A polícia decidiu levar o criminoso para indicar o local exato onde teria abandonado o corpo da criança.
O criminoso confessou que estuprou a mãe e matou a criança porque chora
De acordo com informações do delegado Rêmulo Diniz ele decidiu levar o criminoso para auxiliar nas buscas, porque somente ele sabia o local exato onde abandonou o corpo do bebê.
“Foram três horas de caminhada dentro do maro ao lado do ramal Esperança. Durante a caminhada Lucimar confessou que estuprou a dona de casa e que marou a criança porque enquanto ele estuprava a mulher a criança chorava muito.
Após estuprar a dona de casa, o assassino abriu a barriga da vítima retirou partes das vísceras em seguida costurou.
Depois amarrou ao corpo com corda e pregou pedras ao corpo com a finalidade de fazer o corpo afundar em rio da comunidade.
Após matar a criança de seis meses de idade e que se chamava Amada, o criminoso caminhou por mais de uma hora carregando o corpo do bebê no colo deixando bem distante do local em que abandonou o corpo da mãe.
“Do local onde matou a mãe, até onde enterrou a criança, é uma hora de caminhada. Ou seja, ele caminhou 1h com a criança morta. O corpo da bebê foi achado em um matagal depois da casa dele e o rosto da criança aparentava ter sido esmagado”. Contou o delegado
‘Estuprou a mãe enquanto o bebê chorava ao lado’, diz delegado
De acordo com o delegado Rêmulo Diniz, que conduziu as diligências na zona rural, o suspeito teria caminhado cerca de 1h com a criança morta.
” Ele conta que estava estuprando a mãe e a criança ficava ao lado chorando. Do local onde matou a mãe, até onde enterrou a criança, é uma hora de caminhada. Ou seja, ele caminhou 1h com a criança morta”, revela.
O delegado também informou que o suspeito participou das buscas. A polícia caminhou por cerca de 3h até encontrar o local onde Bezerra enterrou a criança.


Notícias Relacionadas