Acreana é presa com 24 quilos de cocaína em Israel



A acreana Gleyciane Nascimento Alencar, de 38 anos, foi presa na manhã desta segunda-feira (09) no aeroporto de Tel Aviv em Israel.
A noticia da prisão da acreana foi manchete em vários jornais, sites e telejornais do Brasil. De acordo com informações Gleyciane Alencar viajava pela primeira vez para aquele país e sabia que estava levando droga, só não sabia a quantidade.
Os 24 quilos de cocaína pura estavam dentro de uma mala da brasileira que foi presa e encaminhada ao Presídio feminino.
Segundo autoridades policiais de Israel esta foi a maior apreensão de drogas em poder de uma única pessoa.
Nesta terça-feira (10) a brasileira teve um encontro com representantes da Embaixada brasileira naquele país.
A advogada de Gleyciane tenta entrar em contato com a família que supostamente reside em Rio Branco.
Em menos de 10 dias segunda brasileira presa por tráfico de drogas em Israel
A acreana Gleyciane Nascimento Alencar é a segunda mulher brasileira presa em Israel por tráfico internacional de drogas em menos de 10 dias.
No último dia 02 a estudante de educação física da FMU em São Paulo, Lilian Lichewitz, de 27 anos, foi presa com os pais, Victor e Elza dentro do avião no aeroporto de Tel Aviv quando se preparava para seguir viagem de retorno a São Paulo.
De acordo com informações a jovem aceitou levar uma mochila com 1,2 quilos de haxixe de um homem que ela conheceu pelo Facebook e ela deveria entregar a mochila a um emissário no Hotel e somente descobriu o conteúdo da mochila ao abri-la.
Com medo a estudante e os pais retornaram para o aeroporto deixando a mochila no Hotel e quando já estavam dentro do avião foram interceptados pela polícia daquele país.
Os pais da estudante foram liberados do Presídio com o compromisso de permanecer 30 dias em Israel até o encerramento das investigações. Já a estudante foi liberada no último domingo (08) e poderia retornar para o Brasil na próxima sexta-feira, mas ela decidiu aguardar a liberação dos pais.
Tanto a paulistana quanto a acreana decidiram colaborar com as autoridades de Israel nas investigações para tentar descobrir para quem a droga seria entregue.


Notícias Relacionadas