Parlamentar paulista agradece empenho de Major Rocha no caso de prisão de militar


Da Assessoria

Major-Rocha

O deputado federal Major Olímpio (PDT-SP) agradeceu hoje, 29, durante discurso no plenário da Câmara, o empenho e colaboração do parlamentar acreano Major Rocha (PSDB) no caso do sargento da Policia Militar de São Paulo, Charles Otaga, preso semana passada sob acusação de tortura.
“A prisão de Otaga é fruto de uma ação “fraticida” provocada pela discussão sobre o ciclo completo, PEC (Proposta de Emenda Parlamentar) que daria aos policiais militares poderes para investigação – hoje restritos somente a policiais civis”, destacou Olímpio.
Major Rocha, que além de Policial Militar também é advogado, foi até São Paulo na última sexta-feira, 26, acompanhar todo o desenrolar dos fatos, até o pronunciamento da Justiça, quanto à prisão do sargento.
A decisão, em caráter de liminar, foi do desembargador Ronaldo Sérgio Moreira da Silva, da 13ª Câmara Criminal. O magistrado aceitou os questionamentos dos advogados do policial e considerou que não havia motivos para manter o sargento preso e sequer provas materiais que comprovassem a tortura.
Entendendo o caso
O sargento Charles Otaga foi preso na terça-feira, 23, depois de deter, com outros dois policiais da sua equipe, Afonso de Carvalho Oliveira Trudes, de 23 anos. Trudes e outro rapaz são acusados de roubar R$ 60 e um celular em uma loja de sapatos em Itaquera (SP).
Segundo a Polícia Civil, o delegado Raphael Zanon percebeu que o preso estaria com dificuldade para sentar na cadeira. Depois de ter garantias de que não teria mais contato com os PM’s, Trudes afirmou que fora agredido com socos, chutes e choques elétricos nas partes íntimas.
A prisão de Trudes aconteceu um pouco antes do meio dia, mas o acusado só foi apresentado na delegacia quase cinco horas depois. O laudo não comprovou os choques elétricos que Trudes afirma terem sido aplicados pelo sargento


Notícias Relacionadas